papo de vestiário feminino

Todo cara algum dia já sonhou estar dentro de um vestiário feminino, muito mais pelo visual do que pelo assunto da mulherada. Ontem na academia alguém soltou o seguinte comentário: “também quem vai confiar em quem malha com uma calcinha daquele tamanho?”. 

Eu só sei de uma coisa, as partes envolvidas no caso realmente não combinam, mas até ai bigode nunca combinou com ninguém e sempre foi sinônimo de credibilidade. Então vai saber, tem gosto pra tudo.

Anúncios

maio 28, 2008 at 1:37 pm 2 comentários

vocação por intuição

Pra quem não sabe trabalho numa agencia de publicidade e hoje pela manhã estava lembrando e rindo de quando escolhi minha profissão. Eu não conhecia nada na área e a pessoa mais próxima que eu conhecia, era uma prima do meu pai que morava em outro estado/SP. Como ela tinha um bom gosto incrível e um papo muito interessante eu quis ser como ela. 

Essa prima do meu pai vivia numa correria danada, na minha cabeça pra eu ser como ela bastava eu atender vários telefones ao mesmo tempo, nunca parar de digitar, só correr ao invés de andar. Daí alcançar o auge: “meu porte físico vai bater um bolão no mundo dos publicitários”.

Foi assim que com 16 anos, no segundo ano do ensino médio escolhi no Rio de Janeiro, o que eu gostaria de ser. Coisa parecida fazem as crianças que dizem querer ser gari. Lembro do meu racional:  o gari varre e eu sei varrer, se eu varrer muito serei boa! E a imagem dos garis no sambódromo no carnaval sambando felizes da vida me garantia que essa era a profissão do futuro. – Quero ser gari!

Quando comecei na propaganda encontrei vários publicitários ‘The Flash’, corriam e gritavam por mais prazo. Mas minha decepção veio junto ao descobrir que os que corriam eram os menos interessantes. A vida deles era conseguir mais prazo pros outros, não participavam do processo. E nem varriam felizes como os garis. Ao contrário reclamavam da falta de prestígio. Mas foi graças a eles que tive a facilidade de escolher meu caminho e encontrar o ritmo certo pras tarefas.

maio 27, 2008 at 3:42 pm 1 comentário

meu calendário pessoal

Uns anos atrás minha madrinha pegou um desenho como este e achou incrível, disse que iria adotar a fórmula pra ela, coisa de tia. Mas pra que entendam melhor do que se trata, as datas são os dias do meu próximo check up clínico e de beleza. Um jeito diferente de separar os cuidados do corpo, das outras tarefas.

Isso porque sempre achei que faziam parte de universos diferentes.

Eu recomendo.

maio 26, 2008 at 10:59 pm 2 comentários

contando história pra adulto dormir

Pedi pra Gi uma menina de 10 anos me contar as estórias destas imagens. Antes de ler a dela pense na sua, depois compare.

Teria você tanto ‘causo’ assim pra me contar?

Um homem e uma mulher eram bem diferentes um do outro, mas se apaixonaram. Num dia o homem a convidou pra dançar, mas ela não sabia dançar direito. Daí o homem começou a ensinar uns passos e fez um desafio: convidou a mulher pra participar de um concurso de dança. Eles tinham só uma semana, mas na quarta feira já com bastante prática ela sem querer errou o passo e acabou inventando um outro, muito diferente. O jeito era trançar suas pernas nas dele e dançar com uma perna só. No campeonato tiraram 10 e terminaram empatados com mais dois casais. Pro desempate o casal precisava inventava seu jeito de dançar pro último estilo surpresa. E o casal que era bem diferente um do outro com seu passo muito esquisito, criado pela mulher que não sabia dançar nem um pouquinho, ganhou o concurso de dança.

Giovana Perli, 10 anos e alguns minutos pra pensar

O unicórnio e o passarinho passeavam numa floresta com flores e frutas. O dia estava nublado e eles brincavam de pular nas árvores. No meio da brincadeira o passarinho pulou e quando o unicórnio foi pular também acabou entalado numa árvore. Eles ficaram pedindo ajuda um tempão, até que escutaram uma voz estranha, que parecia ser de uma das árvores. Mas como se árvore não fala? O unicórnio então convenceu o amigo passarinho a ver de onde vinha a voz. Chegando bem pertinho o passarinho percebeu que não se tratava de uma árvore e sim de um bicho. Desesperado o passarinho acabou quebrando o galhinho da árvore antes de voar novamente pra junto do unicórnio. Voou pra contar ao seu amigo o acontecido, mas chegando viu que se contasse deixaria o unicórnio ainda mais desesperado. Então o passarinho superou seu medo e voltou sozinho até lá. Chegando, encontrou a amiga girafa morrendo de rir. Então era isso? Rindo a girafa respondeu: não foi culpa minha, foi à fantasia que te assustou. E o passarinho bravo, mas aliviado pediu ajuda pra girafa. Enquanto isso o unicórnio gritava por socorro e por seu amigo passarinho. Quando de repente escutou a voz novamente muito mais perto. No desespero vê um bicho horrível em sua frente e começa a se debater e cai voando pro chão. Ainda zonzo vê o passarinho que lhe diz: pronto amigo você se salvou.  E a girafa mais risonha acrescenta: amigos o bicho era do bem!

Giovana Perli, 10 anos e alguns minutos pra pensar

  

maio 21, 2008 at 3:25 pm 3 comentários

sonho que se sonha junto é realidade

Outro dia estive com uma amiga que faz medicina e depois de alguns temakis, ela contou sobre uma aula de psicanálise. O professor explicava que o universo do nosso inconsciente é inúmeras vezes maior que o do consciente. Confesso ter ficado chocada e por isso comecei a dar muito mais valor ao que passa por minha cabeça, seja quando estou acordada ou dormindo. Volta e meia tento trazer algo do inconsciente pra minha vida real. Tem sido um exercício interessante. Abaixo um pedacinho do meu inconsciente pra vocês.

tem sonho que vem pro bem, sonho que não fazem bem,

sonho que melhora, sonho que transforma,

sonho confuso, sonho obscuro,

sonho piada, sonho gargalhada,

sonho otimista, sonho alegria,

sonho distante, sonho instante,

sonho com pé no chão, sonho fanfarrão,

mas se existe deve ser contado ;D

                           Camila Massari

 

maio 19, 2008 at 10:05 pm 1 comentário

revistas de moda feminina ajudando os meninos em suas escolhas

Nestas revistas é fácil encontrar formatos possíveis para um corpo feminino. Assim a mulherada acha o formato que mais se aproxima do dela e quando chega às dicas do que cai bem, vai direto ao formato certo.

Mas já que isso nunca interessou a homem nenhum, que tal utilizar esse treco de classificação feminina das revistas de moda, pra dar mais argumentos na hora de reforçar as escolhas? Isso faria homens especialistas, melhor fundamentados no assunto mulher.

a revista da as dicas da esquerda pra direita é mais fácil de engolir, ops de se vestir ;D

maio 15, 2008 at 9:51 pm 1 comentário

pela volta do cabo de guerra e a inclusão da queimada nas Olimpíadas

Acabei de ler aqui que nas olimpíadas entre 1900 e 1920 o cabo de guerra era uma modalidade do atletismo. Achei genial!

Por acaso neste fim de semana vi um filme estilo “sessão da tarde” onde tudo acontecia numa competição oficial de queimada (que deu origem ao nome do filme Dodgeball). Nele pequenas adaptações deixaram o tradicional jogo escolar mais dinâmico e competitivo. Pronto pra uma grande competição.

Eu com certeza pagaria por uma final de queimada nas Olimpíadas.

 

Homenagem aos atletas olímpicos de cabo de guerra

 

maio 13, 2008 at 7:40 pm 3 comentários

Posts antigos Posts mais recentes


Categorias

  • Blogroll

  • Feeds